• Equipe Efeito

Paralisia cerebral na escola: como contribuir para alfabetizar?

Alfabetizar e possibilitar a redação com independência são etapas de um processo importante que exige adaptações e estratégias assertivas

A alfabetização é o processo de apropriação da leitura e da escrita. Essa habilidade é a base para uma educação construtiva e para o desenvolvimento do ser humano, em qualquer idade.


No contexto da educação inclusiva é preciso reforçar ainda mais a importância da alfabetização e letramento – esse processo é essencial para os estudantes e não deve ser descartado para os que apresentam algum tipo de dificuldade.


A alfabetização de pessoas com paralisia cerebral, é claro, exige adaptações para mediar o caminho da aprendizagem, já que esses estudantes apresentam condições como dificuldades para sentar, manter a cabeça posicionada corretamente, falar e manusear objetos como o lápis. 


Nesse processo de ensino, a primeira dica é ACREDITAR que o estudante tem potencialidades e que, do jeito dele, vai conseguir percorrer o caminho proposto. É claro que para alcançar o ponto de chegada, será preciso usar de algumas ferramentas para equiparar o desenvolvimento de cada um. Lembre-se sempre: queremos ir além da igualdade, valorizando cada diferença e concedendo a cada um o que lhe é devido!


Nessa fase de alfabetização, em muitos casos será importante a mediação escolar, para favorecer a interação entre o professor e o aprendiz. A mediação é um caminho, uma ponte, muito importante para potencializar as habilidades dos estudantes que demandam algum método de aprendizagem que atenda suas especificidades.


Além de recursos, são necessárias adequações curriculares, muitas vezes, implantando e implementando o plano de desenvolvimento individual. Essa ferramenta é fundamental para um planejamento mais assertivo nos processos de ensino-aprendizagem, incluindo as atividades avaliativa.

 

Outra regrinha de ouro: parceria entre escola e família. Todos devem trabalhar juntos pelo maior objetivo de ambas – uma educação de sucesso. No processo de letramento, essa parceria é essencial. Para ler mais sobre isso, clique aqui.


Agora vamos passar para a parte prática! Nesse processo de alfabetização, veja o exemplo, entre tantas outras possibilidades, 2 adaptações que consideramos serem excelentes para contribuir para a inclusão do estudante nas tarefas diárias da sala de aula:



Órtese tubular:

A órtese tubular é um equipamento externo que, quando usado nas mãos, ajuda a corrigir os movimentos, alinhar e trazer mais precisão. Essa adaptação pode ser muito importante para o estudante que comprometimento no manuseio de objetos, auxiliando na execução das tarefas.



Teclado colmeia:

O teclado adaptado com colmeia acrílica é um grande facilitador para o estudante com paralisia cerebral. No processo de escrita, auxilia a pessoa com movimentação reduzida a encontrar a tecla correta e apertar a letra que deseja com mais facilidade.



Nós, da equipe EFEITO, entendemos que cada estudante é único, e precisa de um planejamento de ensino diferente, diante de suas especificidades.


Clique aqui para acompanhar nossas novidades e dicas no Instagram e, se desejar, você pode levar a nossa consultoria para a sua instituição de ensino ou agendar uma formação com a sua equipe.


Entre em contato conosco clicando aqui.

3 visualizações

Copyright © 2018 | Efeito Consultoria