• Equipe Efeito

O BRINCAR DA CRIANÇA COM DEFICIÊNCIA

A deficiência não é algo a ser combatido, derrotado ou eliminado. A deficiência - qualquer que seja - é apenas uma das múltiplas e infinitas características que constituem um ser humano. E a existência de uma pessoa não pode ser desqualificada ou deslegitimada em razão da deficiência.



O QUE É O BRINCAR?


Uma das ocupações fundamentais da infância é o brincar. O brincar é um momento em que a criança tem prazer e espontaneidade, é uma atitude lúdica, ou seja, se isso acontece, a criança está brincando.


Para cada etapa de vida em que a criança está vivendo, dos 0 aos 6 anos - que é onde o brincar tem que estar instalado - é considerado uma atividade subjetiva, porque essa atitude lúdica, esse prazer, esse senso de humor, essas motivações internas e externas, são difíceis de avaliar, mas ainda assim é possível.


Portanto, se há: interesse lúdico (explorar um determinado objetivo a partir de coisas que a pessoa gosta); ação lúdica; atitude lúdica; com certeza então, o brincar está acontecendo.



A BRINCADEIRA COMO FORMA DE INCLUSÃO


O brincar é importante para aproximar a criança com deficiência do seu meio e fazê-la interagir socialmente, possibilitando que ela não se sinta ou tenham-na como incapaz Além de preparar pais, familiares e todas as pessoas que convivem com essa criança, conscientizando-os, que há a necessidade de estimular e apoiar o ato de brincar.


Ao se falar de brincar é importante sempre lembrar que ele traz para a criança com deficiência contribuições inestimáveis para o seu desenvolvimento global e psicológico. Contudo, o que se percebe é que ela continua sendo subordinada ao adulto, que tem como pretensão fazê-la passar pela infância o mais rápido possível, no entanto, a criança é um ser de direito desde que nasce.


Ela é um ser que já é e que necessita ter o seu direito de participação. No Brasil, esse direito de participação foi instituído pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), que assegura uma doutrina de proteção integral, reconhecendo a criança como cidadã e como sujeito de Direito.


Por isso, o ato de brincar é mais um direito adquirido e que está garantido no ECA, no Art. 16 parágrafo IV - “O direito à liberdade compreende os seguintes aspectos: brincar, praticar esportes e divertir-se;” (BRASIL, 1990, p. 7). Assim, pode-se compreender que toda criança independente da sua condição física, psíquica ou cognitiva tem o direito de brincar, ou mesmo, de ser simplesmente criança.



QUESTÕES PRÁTICAS


Bom, então, não há necessidade de preocupação, nem planejamento quando há crianças com deficiência num grupo, no que se refere à brincadeiras? Se preocupar não, todavia é importante ter um olhar atento e propor a construção de soluções conjuntas quando o grupo se ver frente a uma falta de acesso das crianças para aquela determinada brincadeira.


Conforme o grupo de amigos passar a ter autonomia de decisões do que fazer a cada situação, tonar-se-á natural a busca de alternativas, sem que isto se transforme em um problema ou na exclusão.


Se você tem em seu convívio uma criança com deficiência, a dica é observar e compreender a criança e sua turma. E, mais importante do que tentar antecipar, é lidar com o imponderável que acontece e é possível se preparar para saber conduzir a situação.


A Unicef, em parceria com a Vila Sésamo, criou, por exemplo, o Guia Incluir Brincando,

que ajuda neste processo. Há em sites de ONGs que trabalham com a inclusão e nas instituições de apoio várias indicações de leitura, muitas delas gratuitas e acessíveis a todos.


O ideal é perguntar para a pessoa o que ela precisa e não supor antes. O que significa também aprender a ouvir e compreender a criança, mesmo pequena, em suas outras infinitas formas de comunicação, mesmo sem ser a oralidade ou a escrita.


A diferença não é o que aprisiona a criança em uma definição fixa, que não considera suas outras características, preferências e necessidades e que a impediria de estar ou fazer o que quiser. Vamos então?



QUER SABER MAIS?


Se você deseja ter acesso a mais dicas sobre o brincar para crianças com deficiência, temos um material imperdível para você. Clique aqui e assista um bate-papo cheio de conteúdo sobre isso.

22 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo