• Equipe Efeito

COMO AVALIAR UM ESTUDANTE COM DEFICIÊNCIA

Dificuldade na avaliação de estudantes público-alvo da educação especial? Confira as dicas que preparamos para te ajudar a tornar o processo mais fácil e inclusivo!



Final de semestre é sempre a mesma coisa. Pais e estudantes preocupados na tentativa de alcançar a nota necessária para garantir a aprovação e professores se sentindo frustrados com os resultados. Algumas famílias encontram somente uma solução: recorrer às aulas particulares.


No entanto, para algumas famílias essa solução não é uma opção, sobretudo quando falamos de estudantes com necessidades especiais. Por isso, existe uma forma de tornar mais justo o sistema de provas.


Veja a seguir algumas dicas para adequar o método de avaliação do ensino e tornar esse período mais justo para todos:


AVALIAÇÃO CONTINUADA


A nota de um estudante deve ser resultado do processo avaliativo realizado em todas as atividades, comentários, envolvimento, iniciativa, pesquisa e interesse. Quando você olha para a experiência do seu estudante e compara com as notas dele, deve haver uma coerência evolutiva com base no conteúdo ministrado.


Pensando nisso, torna possível criar uma régua de avaliação individualizada com base no conhecimento prévio daquele estudante. Assim, ele é comparado com ele mesmo.


PLANO DE DESENVOLVIMENTO INDIVIDUAL (PDI)


O PDI ou PEI (Plano Educacional Individualizado), como alguns preferem chamar, é um documento elaborado pelo professor a partir de uma avaliação do estudante com uma necessidade educacional específica. Cada estudante é único e, portanto, aprende de maneira diferente e, por isso, é preciso usar estratégias adequadas para que ele possa aprender no ensino regular.


Com esse documento, você terá uma visão mais ampla sobre o estudante, suas limitações, suas habilidades, suas competências, suas potencialidades e seus ganhos durante aquele ano escolar. Consequentemente, torna mais fácil criar um método para avaliá-lo.


Trata-se de um documento que define, a partir de um diagnóstico pedagógico, as estratégias de ensino e avaliativas. É um direito do estudante, e independe da apresentação do laudo de especialista externo à escola.



ESTRATÉGIAS E RECURSOS PEDAGÓGICOS


Não é o estudante que deve se adaptar, a prática do professor precisa se adequar ao estudante. Reveja o seu planejamento pedagógico anual e questione se ele agrega as necessidades educativas dos estudantes com deficiência, transtornos ou com dificuldades de aprendizagem.


Incluir significa oferecer as equiparações justas e adequadas aos estudantes que delas necessitam.


MAIS DICAS


Gostou dessa dica da Equipe EFEITO? Clique aqui para seguir nossas novidades e dicas no Instagram e, se desejar, entre em contato conosco para levar a nossa consultoria para a sua instituição de ensino ou agendar uma formação com a sua equipe. Para isso, basta clicar aqui.

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo