• Equipe Efeito

A IMPORTÂNCIA DA PARCERIA ESCOLA & FAMÍLIA NO CONTEXTO EDUCACIONAL

Quando o objetivo é uma educação de sucesso, é muito importante destacar os papeis fundamentais e complementares da escola e da família.



Quando pensamos nos elementos essenciais para uma educação de sucesso, devemos destacar as duas maiores instituições fundamentais neste processo: família e escola. Ambas têm como objetivo comum o pleno desenvolvimento do estudante para que se torne um adulto responsável e com um futuro bem-sucedido.

A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (2004), afirma que: Art.2º. A educação, dever da família e do estado, inspirada nos princípios de liberdade e nos ideais de solidariedade humana, tem por finalidade o pleno desenvolvimento do educando, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho.

Desta forma, a família tem um papel fundamental no processo de aprendizagem, uma vez que está fortemente ligada à escola. Porém, deve-se ressaltar que mesmo tendo objetivos em comum, cada uma deve fazer sua parte para que alcancem o sucesso na condução do desenvolvimento do estudante.

A família é a fonte primária da educação de uma criança, responsável por guiar os primeiros passos, é na família que aprendemos as atitudes e o significado de estar em uma sociedade.

Por outro lado, a escola, com sua principal função de promover o aprendizado dos estudantes. É importante destacar que isso não significa que a escola não possa ensinar valores éticos, morais e sociais.

Família tem diferentes papeis e formas diferentes de educar, sendo assim, esta pode desenvolver práticas que ajudem e facilitem a aprendizagem escolar. Para tanto, é fundamental que a família esteja envolvida no processo educacional dando suporte à escola.

Mas como fazer isso? Como participar desse processo da forma adequada? A equipe da EFEITO separou 10 dicas para que você mantenha a relação com a escola da forma MAIS apropriada.

Veja só:

1. Conheça os professores do(a) seu(sua) filho(a);

2. Participe das reuniões de pais e professores;

3. Dê apoio ao(a) estudante academicamente;

4. Certifique que seu(sua) filho(a) tem feito as tarefas escolares: para casa, trabalhos e estudo antecipados;

5. Busque ajuda de especialistas, se necessário;

6. Ajude seu(sua) filho(a) a se preparar para os processos avaliativos;

7. Seja parceiro da equipe da escola: compartilhe informações, angústias e sugestões;

8. Participe ativamente da implementação da equiparação de oportunidades para seu(sua) filho(a) no contexto escolar e no ambiente domiciliar;

9. Apresente todas as informações no processo admissional, que possam contribuir para a escola oferecer as adequações justas e necessárias neste processo;

10. Acompanhe todas as estratégias que são ofertadas pela escola.

E LEMBRE-SE, seu(sua) filho(a) não é um diagnóstico, ele é único!

Desta forma, a escola necessita da presença dos pais para que juntos possam identificar quais as potencialidades e dificuldades do(da) estudante e juntos possam definir qual o processo educacional que trará um melhor desenvolvimento no comportamento e aprendizado dentro e fora da escola.

Para mais dicas sobre inclusão siga o nosso Instagram clicando AQUI

QUER SABER MAIS?

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei número 9394, 20 de dezembro de 1996.

BRASIL, MEC. Plano de Desenvolvimento da Educação. Brasília: MEC, 2007.

NOGUEIRA, M.A. A relação família-escola na contemporaneidade: fenômeno social /interrogações sociológicas 2005.

OLIVEIRA, Cynthia Bisinoto Evangelista de; MARINHO-ARAUJO, Claisy Maria. A relação família-escola: intersecções e desafios. Estud. Psicol. (Campinas), Campinas, v. 27, n. 1, p. 99-108, mar. 2010.

CARVALHO, Maria Eulina Pessoa de. Relações entre família e escola e suas implicações de gênero. Cad. Pesq. [Online]. 2000, n.110, pp.143-155

Autoria: Álida Fernanda Corgozinho Murta Andrade

8 visualizações

Copyright © 2018 | Efeito Consultoria