• Equipe Efeito

05 DICAS PARA AJUDAR ESTUDANTES COM TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA

Como ensinar ao estudante que, muitas vezes, não demonstra reações de curiosidade ao conteúdo? Entenda como incentivá-lo e coloque em prática nossas dicas!



O Transtorno do Espectro Autista é uma condição que se caracteriza por prejuízos em 3 áreas do desenvolvimento humano: linguagem, habilidades socioemocionais e atenção compartilhada. Existem diversos graus de abrangência deste espectro e os sinais podem começar a ser observados na infância, a partir de um ano e meio de idade. 


No campo da educação, é sempre essencial reconhecer que nenhum estudante é igual ao outro. Cada pessoa é uma pessoa, cada estudante é único e precisa ser avaliado individualmente. As soluções de equiparação devem ser individualizadas de acordo com a análise das características de cada um.


Ao avaliar o estudante com espectro autista, faça reflexões sobre como é possível equiparar as condições para auxiliar a evolução do estudante. A verdade é que não existe uma receita de bolo pronta. Reconheça qual o tipo de suporte necessário para aquele estudante e se for o caso, aproveite das 05 dicas a seguir:



CONVERSE COM OS FAMILIARES E ESTUDE O CASO

É importante que essa parceria entre a escola e a família seja sempre um canal aberto. A proposta é captar informações das experiências da família para conhecer mais a fundo o comportamento e habilidades do estudante. E, também, transmitir à família informações importantes para o auxílio no desenvolvimento da pessoa. Essa conversa inicial deve acontecer de forma mais profunda, mas a relação deve continuar existindo durante os anos de ensino escolar, com conversas constantes, já que a educação é uma evolução. 


CONSCIENTIZE O ESTUDANTE SOBRE O TEMPO

Para o estudante com Espectro Autista, é muito importante estar consciente do tempo de cada atividade. Por isso, o professor deve informa-lo sobre a duração concreta de cada tarefa. Por exemplo: “quando o relógio marcar tal hora a aula termina / esse exercício acaba”.



DIVIDA ATIVIDADES EM PARTES

Não peça ao estudante que faça 10 operações matemáticas de uma vez ou escreva um texto completo sem pausas. É importante estimular a conclusão de cada tarefa de forma individual. Comece com menos orientações para cada atividade, uma operação por vez. E vá acrescentando novas tarefas à medida que o estudante for finalizando as anteriores.

DÊ INSTRUÇÕES CLARAS E DIRETAS

É muito importante evitar enunciados e explicações longas e abstratas. Explique de forma direta, pausada e clara. Se for necessário, utilize de recursos que captem ainda mais a atenção do estudante para a sua explicação da atividade: gestos, objetos, cores, músicas e personagens podem ajudar a gerar mais interação e, assim, facilitar a comunicação. 


TROQUE QUESTÕES ABERTAS POR FECHADAS


Em vez de perguntas abertas, escolha as questões com alternativas. As questões diretas ajudam o estudante com Espectro Autista a desenvolver um raciocínio completo, sem perder o foco. Outra dica importante é acrescentar às questões ilustrações, símbolos ou esquemas visuais que o ajudem a entender o enunciado e as opções.


Além dessas 05 dicas práticas, também é importante que dentro da sala de aula o estudante com Espectro Autista seja estimulado a ter independência. Mesmo que de forma adaptada, ele pode e deve progredir na realização de atividades corriqueira e escolares e isso deve ser incentivado.


Outro alerta importante: ensine o mesmo conteúdo, mesmo que de forma diferente, à turma. A orientação é nunca tirar ou acrescentar conteúdos, pois o grupo de estudantes deve progredir junto. Ninguém deve ficar de fora, mesmo que existam equiparações – que são muito importantes!


Quer acompanhar a EFEITO?

Clique aqui para seguir nossas novidades e dicas no Instagram e, se desejar, entre em contato conosco para levar a nossa consultoria para a sua instituição de ensino ou agendar uma formação com a sua equipe. Para isso, basta clicar aqui.

9 visualizações

Copyright © 2018 | Efeito Consultoria